Na área de comunicação, os dois termos são bastante comuns quando falamos de remuneração.
Algumas agências trabalham com fee mensal ou por job, mas o que são estas formas de remuneração?
É importante que, antes de contratar um serviço de comunicação, o cliente entenda corretamente como funciona cada um.

 

O Fee mensal é um pacote de serviços que a agência oferece ao cliente que inclui diversos serviços com um único valor mensal. Clientes do FEE mensal tem a praticidade de ser atendido sem necessidade de fazer orçamentos de criação, devido ao trabalho constante que possuem com a agência. A agência conhece os mesmos de olhos fechados durante o processo, sabemos o seu público alvo e inclusive as necessidades e gostos de cada cliente FEE, fazendo com que as campanhas sejam de resultados e ágeis.

Contratando um plano de fee mensal, a empresa fecha um ciclo de comunicação mais eficaz, garantindo uma unidade de comunicação para seus clientes.
 
Trata-se de uma remuneração mensal fixa e pode ser calculada a partir de uma análise do volume de trabalho e dos valores praticados no atendimento a um determinado cliente por um período determinado, ou levantamento de horas de trabalho e materiais a serem criados para uma campanha por um determinado período estabelecido previamente com o cliente; ou ainda um conjunto de trabalhos pré-definido.

No cálculo do fee mensal geralmente não se engloba serviços gráficos, aquisição de produtos, pagamento de terceiros, que são etapas difíceis de prever com antecedência.
 
É importante fazer um contrato por escrito, explicitando o acordo entre as partes e com cláusula de revisão, para que seja justo para ambas as empresas.

Nesta forma de remuneração, além do fee mensal fixo, o cliente também remunera a agência por meio de comissão sobre todo o serviço de terceiros, como serviços gráficos, compra de brindes, aluguel de espaços, etc. Dessa maneira, a agência compõe os ganhos com uma parte fixa e outra variável.
 
Quando falamos de “job”, estamos falando de trabalhos cobrados isoladamente, ou seja, job a job – trabalho a trabalho.

É uma forma de remuneração na qual o cliente remunera a agência através de um valor que cobre todas as atividades envolvidas em uma ação isolada (com começo, meio e fim).

O valor de um trabalho realizado (job) deve ser composto pelos seguintes itens: horas de planejamento, atendimento ao cliente, operações, peças criativas e comissionamento sobre serviços de terceiros.
 
Para o volume de horas de planejamento, atendimento e operações a serem utilizadas para cada campanha ou programa, será apresentada uma tabela sugestiva complementar de volume mínimo e máximo de horas por porte de campanha ou programa.

Para contratos de clientes por job, recomenda-se a definição de um volume mínimo de jobs/mês, para garantir a longevidade do relacionamento e, principalmente, o acompanhamento efeito dos resultados obtidos em cada ação.
 
Visando o equilíbrio financeiro e cobertura de custos fixos envolvidos no atendimento das agências a cada cliente, a ABEMD também sugere que, mesmo no trabalho job a job, seja estabelecido entre a agência e cada cliente a garantia de um valor mínimo de remuneração mensal, a ser estabelecido caso a caso, de acordo com a estrutura da agência dedicada e respectivo custo fixo dedicado à operação em questão, que, na maioria das vezes, independe do volume criativo.
 
Nesta recomendação adicional, que se denomina FEE Dedutível, eventuais saldos da remuneração (mínimo não atingido) não serão acumulativos, pois o custo fixo da agência, independente da realização ou não do volume mínimo de jobs e receita prevista, existiu e foi remunerado de qualquer maneira.

1 comment

  • Pablo Catto Tulio

    Parabenizo o autor ou autora deste artigo. Bem escrito, esclarecedor e – eu diria – didático.
    Me ajudou a entender certos aspectos que ainda tinha certa dificuldade de entender.

    Gratidão,
    Pablo Catto Tulio

    Responder

Deixe um comentário